Categoria de Arquivos: Empregos

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2014/2015

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC000817/2014
DATA DE REGISTRO NO MTE: 13/05/2014
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR023825/2014
NÚMERO DO PROCESSO: 46303.000478/2014-30
DATA DO PROTOCOLO: 13/05/2014

Confira a autenticidade no endereço http://www3.mte.gov.br/sistemas/mediador/.
SINDICATO DE HOTEIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DO SUL CATARINENSE , CNPJ n. 75.566.497/0001-09, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). MARA REGINA DO AMARAL;

E

SIND DOS EMPR NO COM HOTELEIRO E SIMILARES DE CRICIUMA, CNPJ n. 80.169.758/0001-97, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JORGE GODINHO DA SILVA;

celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA – VIGÊNCIA E DATA-BASE

As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de 01º de maio de 2014 a 30 de abril de 2015 e a data-base da categoria em 01º de maio.

CLÁUSULA SEGUNDA – ABRANGÊNCIA

A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) Hotéis, Motéis, Apart-hotéis,Restaurantes,Bares, Pensões, Campings, Hospedaria, Churrascaria, Pizzaria, Lanchonetes de Supermercado, Casas de Chás, Lanchonetes de Padarias, cafés, Leiterias, Botequins, Bombonieres, Sorveterias, Confeitarias, Fest-Food, Cozinha Industrial, Congelados, Resort e Similares, com abrangência territorial em Araranguá/SC, Balneário Arroio do Silva/SC, Balneário Gaivota/SC, Cocal do Sul/SC, Criciúma/SC, Ermo/SC, Forquilhinha/SC, Içara/SC, Jacinto Machado/SC, Maracajá/SC, Meleiro/SC, Morro da Fumaça/SC, Morro Grande/SC, Nova Veneza/SC, Passo de Torres/SC, Praia Grande/SC, Santa Rosa do Sul/SC, São João do Sul/SC, Siderópolis/SC, Sombrio/SC, Timbé do Sul/SC, Treviso/SC, Turvo/SC e Urussanga/SC.

Salários, Reajustes e Pagamento
Piso Salarial
CLÁUSULA TERCEIRA – SALÁRIO NORMATIVO

A partir de 01/05/2014, fica assegurado aos trabalhadores desta categoria, abrangidos pela presente Convenção Coletiva, o salário normativo de R$ 970,00 (novecentos e setenta reais).

Reajustes/Correções Salariais
CLÁUSULA QUARTA – REAJUSTES

O Salário dos integrantes da categoria profissional, que recebam valor superior ao piso, será reajustado em 8 % (oito por cento), aplicáveis sobre os salários vigentes em Abril de 2014.
Parágrafo Primeiro: As empresas poderão compensar os adiantamentos legais ou espontâneos pagos no período, aplicando o índice acima sobre os salários de maio/2013; salvo os decorrentes de promoção, término de aprendizagem, transferência de cargo, função, estabelecimento ou localidade e equiparação salarial determinada por sentença transitada em julgado.

Gratificações, Adicionais, Auxílios e Outros
Outras Gratificações
CLÁUSULA QUINTA – QUEBRA DE CAIXA

Os empregados que exercem a função de caixa ou assemelhado serão remunerados com a verba quebra de caixa, no percentual de 20% (vinte por cento) do piso salarial previsto.

CLÁUSULA SEXTA – COBRANÇA DE TAXA DE SERVIÇO

Só poderão cobrar taxa de serviço as empresas que mantiverem Acordo Coletivo com seus empregados, devidamente homologado pelas suas Entidades Sindicais que firmam a presente convenção, nos termos da legislação vigente.
Parágrafo 1º- A taxa de serviço, quando cobrada regularmente, deverá ser distribuída a todos os funcionários das empresas, mediante o sistema de “pontos” ou outra modalidade.
Parágrafo 2º- Obrigatoriamente deverá a empresa anotar na Carteira Profissional de empregados, os valores por eles percebidos mensalmente a título de distribuição de taxa de serviço, para efeito das obrigações trabalhistas dela resultantes, anotações estas que poderão ser feitas semestralmente, no espaço reservado para “observações”, através de carimbo cujo modelo será fornecido pelo Sindicato dos Empregados.
Parágrafo 3º- Por ocasião da rescisão contratual, deverá o empregador atualizar as anotações relativas à distribuição da taxa de serviço, ainda que não vencido o prazo de 06 (seis) meses previsto no “parágrafo 2º ” desta cláusula.

Adicional de Hora-Extra
CLÁUSULA SÉTIMA – HORAS EXTRAORDINÁRIAS

Quando em domingos e feriados, excetuando-se os casos em que houver escala de folga e revezamento ou compensação de horas, a segunda hora extraordinária será remunerada com o adicional de 100% (cem por cento) sobre a remuneração normal.
O trabalho excedente à carga horária estabelecida na presente convenção, que é além da 8ª (oitava) hora diária e 44ª (quadragésima quarta) hora semanal, será pago com acréscimo de 50% (cinqüenta por cento).

Adicional de Tempo de Serviço
CLÁUSULA OITAVA – QUINQUÊNIO

A cada período de 5 (cinco) anos de trabalho ininterruptos para a mesma empresa contados da sua admissão, terá o empregado o direito ao recebimento de adicional em percentual acumulável de 5% (cinco por cento) sobre seu salário base mensal.

Outros Adicionais
CLÁUSULA NONA – MORA SALARIAL

As empresas pagarão 0,5% (meio por cento) ao dia, para o empregado, calculado sobre sua remuneração bruta, no caso de mora salarial, a título de multa, a partir do décimo dia útil do mês subseqüente ao vencido.

Contrato de Trabalho – Admissão, Demissão, Modalidades
Normas para Admissão/Contratação
CLÁUSULA DÉCIMA – CONTRATO POR PRAZO DETERMINADO

Sempre que for necessário aumento de número de funcionários, a empresa poderá fazer as novas contratações através de contrato temporário nos moldes da Lei nº 9.061/98.

Desligamento/Demissão
CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA – DEMISSÃO POR JUSTA CAUSA

No caso de demissão por justa causa, a empresa comunicará ao empregado, por escrito, o justo motivo alegado.

Aviso Prévio
CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA – DISPENSA DO AVISO PRÉVIO

No caso de demissão por iniciativa da empresa, fica o empregado dispensado do cumprimento do aviso, no caso de obtenção de novo emprego antes do término do referido aviso, desde que comprovada por declaração escrita. Nesta situação, os dias restantes do Aviso Prévio não serão pagos pela empresa, sendo a data da rescisão aquela em que ocorrer o efetivo desligamento do empregado.
Parágrafo Único – Estão desobrigados da concessão da dispensa no “caput” desta cláusula, as empresas que promoverem rescisões motivadas por encerramento de atividades total ou parcial, temporária ou permanente, bem como os casos fortuitos e de força maior.

Relações de Trabalho – Condições de Trabalho, Normas de Pessoal e Estabilidades
Normas Disciplinares
CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA – COMPROVANTE DE PAGAMENTO

Serão fornecidos comprovantes da remuneração mensal aos empregados, com identificação na empresa, discriminação da remuneração, descontos e contribuição do FGTS.

Estabilidade Geral
CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA – ESTABILIDADES ESPECIAIS

As empresas asseguram estabilidade provisória, além daquelas já estabelecidas na legislação em vigor, ao empregado com 05 (cinco) ou mais anos de empresa, durante os 18 (dezoito) meses anteriores à aquisição do direito à aposentadoria especial ou por tempo de serviço. A presente estabilidade provisória ficará sem efeito nos casos de extinção da empresa, aquisição do direito à aposentadoria pelo empregado ou dispensa disciplinar.

Estabilidade Serviço Militar
CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA – ALISTAMENTO MILITAR

A partir do conhecimento pelo empregado, de sua incorporação ao serviço militar terá, o mesmo, estabilidade no emprego até 30 dias após a baixa no referido serviço; do conhecimento de sua incorporação, dará ciência ao empregador em 48 horas.

Jornada de Trabalho – Duração, Distribuição, Controle, Faltas
Faltas
CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA – EMPREGADOS ESTUDANTES

As empresas abonarão as faltas do empregado estudante para prestação de exames, inclusive vestibular e supletivo, quando coincidir com o horário de trabalho na empresa, desde que em estabelecimento oficial de ensino, ou reconhecido como tal, devendo o empregado comunicar a empresa com antecedência mínima de 72 (setenta e duas) horas, com comprovação posterior.

Outras disposições sobre jornada
CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA – INTERVALO INTRA -TURNO

O intervalo entre um turno e outro turno de serviço será de, no mínimo, 01 (uma) hora e, no máximo, 02 (duas) horas.

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA – TRABALHO NOTURNO

Aos trabalhos noturnos, assim considerado o período entre às 22:00 às 5:00 horas, salvo nos casos de revezamento semanal ou quinzenal, será concedido o adicional de 20% nos termos da lei.

CLÁUSULA DÉCIMA NONA – BANCO DE HORAS

A empresa que desejar promover a implantação do banco de horas deverá formular por escrito seu pedido ao Sindicato Profissional, para que este num prazo de 15 ( quinze ) dias agende a realização de Assembléia Geral com os empregados na sede da empresa pretendente, para aprovação ou não, mediante votação secreta, por maioria simples.

Férias e Licenças
Remuneração de Férias
CLÁUSULA VIGÉSIMA – FÉRIAS PROPORCIONAIS

Os empregados receberão, na rescisão contratual, férias proporcionais, ainda que resultante do pedido de demissão do empregado, salvo nos casos de despedida por justa causa.

Licença Remunerada
CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA – LICENÇA REMUNERADA

As empresas concederão licença remunerada de 05 (cinco) dias na ocorrência de casamento do empregado.

Saúde e Segurança do Trabalhador
Condições de Ambiente de Trabalho
CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA – LOCAL PARA TROCA DE ROUPA

As empresas deverão ter local apropriado onde o empregado possa trocar roupa no início e ao término do expediente.

Uniforme
CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA – UNIFORMES

Os uniformes e equipamentos de proteção individual, quando exigidos por lei ou pela empresa, serão fornecidos gratuitamente, cabendo à empresa disciplinar o uso dos mesmos.

Exames Médicos
CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA – EXAMES MÉDICOS E LABORATORIAIS

Os exames médicos e laboratoriais exigidos para admissão do empregado, bem como os demais exigidos por lei, serão pagos pelo empregador e efetuados nos locais por esses determinados.

Relações Sindicais
Acesso do Sindicato ao Local de Trabalho
CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA – ACESSO DO DIRIGENTE SINDICAL

O dirigente sindical, no exercício de suas funções, terá garantido acesso ao refeitório das empresas nos intervalos destinados à alimentação e descanso, para desempenho de suas funções, vedada a divulgação de matéria político partidária ou ofensiva, desde que de prévio conhecimento aos empregadores, inclusive dos motivos da visita, ou mediante prévia autorização e identificação.

Contribuições Sindicais
CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA – CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL/SINDICATO PROFISSIONAL

Com a finalidade de custeio dos benefícios de atendimento e orientação ao trabalhador e a manutenção das despesas da entidade as empresas descontarão de seus empregados, em favor da entidade profissional e recolherá através de guias fornecidas por esta, sob sua inteira responsabilidade, até o sétimo (7º) dia útil do mês subseqüente ao da competência do desconto.
A Contribuição Assistencial nos termos dispostos no Art. 513, alínea “e”, aprovada em Assembléia Geral Extraordinária, sendo que as parcelas foram divididas em duas vezes, sendo 5% no mês de Outubro/2014 e 5% no mês de Janeiro/2015, do Piso da categoria dos empregados, totalizando assim 10% (dez por cento) ao ano, e recolherá através de guias fornecidas por esta, sob sua inteira responsabilidade, até 7º (sétimo) dia útil do mês subsequente ao da competência do desconto. O não recolhimento nas datas implicará as empresas multa de 20% (vinte por cento) dos valores devidos, sem prejuízo dos juros e atualização monetária até a data do efetivo pagamento.

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA – CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL – PATRONAL

As empresas abrangidas por esta Convenção Coletiva de Trabalho, associadas e não ao Sindicato, recolherão em favor do Sindicato Patronal, à título de Contribuição Assistencial, a importância equivalente a: R$ 100,00 (cem reais) para as empresas do ramo Hoteleiro; R$ 50,00 (cinquenta reais) para empresas do ramo de Restaurantes e R$ 25,00 (vinte e cinco reais) para as empresas do ramo de Bares e Similares; inclusive para as empresas sem funcionários; cujo recolhimento deverá ser efetuado até 30/06/2014, em guias próprias a serem fornecidas pelo Sindicato respectivo.
Parágrafo único: O não recolhimento da contribuição acima, no prazo estabelecido, implicará no pagamento de multa de 2% (dois por cento), além de juros de moras.

Direito de Oposição ao Desconto de Contribuições Sindicais
CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA – DIREITO DE OPOSIÇÃO AO DESCONTO

Será garantido ao empregado não sindicalizado o direito de oposição ao desconto da Contribuição desde que o faça pessoalmente de livre manifestação de vontade do trabalhador, na sede do sindicato conforme deliberação da Assembléia Geral Ordinária Específica, até 30 dias antes do referido desconto em seu salário, mensalmente.
Oposição levada a efeito mediante listas ou cartas, mesmo enviadas ao Sindicato profissional através de cartório, serão consideradas desacato à Assembléia Geral e nulas de pleno direito, na forma do art. 9º da Consolidação das Leis do Trabalho.
As partes celebrantes da presente Convenção Coletiva consignam o entendimento que o custeio da luta sindical por todos os membros da categoria profissional, sejam eles sindicalizados ou não, não implica, de forma alguma, em afronta ao princípio da liberdade sindical, em especial, porque o desconto da Contribuição Assistencial não se configura em sindicalização automática e, considerando-se ainda que há uma efetiva desproporção entre o volume de material produzido para orientar os trabalhadores a apresentarem oposições e aquele utilizado para orientar o trabalhador sobre a importância de serem sindicalizados, sendo que somente deveria ser cabível a aceitação de uma oposição após a perfeita instrução dos trabalhadores, para que pudesse se constatar que se trata de efetiva manifestação de suas vontades, devendo ser considerado dever de todas as instituições que tratam sobre o tema envidar esforços neste sentido a exemplo do Ministério Público da Bahia, que lançou a “Cartilha sobre Liberdade Sindical” resultado de acordo firmado entre o MPT e a Brasway S.A. Industria e Comércio.

Inexistência de outro tipo de Contribuição

Fica esclarecido, para os efeitos de direito, que a presente Convenção Coletiva de Trabalho, não cuida da Contribuição Confederativa, (CF, art. 8º, IV), razão pela qual as partes reconhecem a inaplicabilidade da Sumula nº 666, editada pelo Supremo Tribunal Federal, porquanto aqui se cuida apenas de Contribuição Assistencial prevista na lei ordinária, expressamente autorizada pelo artigo 513, letra “e” da Consolidação das Leis do Trabalho, nos termos do mais entendimento editado pela mesma Corte Suprema, acima transcritos.

Neste ato as empresas assumem, através do Sindicato representante da categoria econômica, ora convenente, o dever de aplicar o entendimento do Supremo Tribunal Federal, proferido na decisão de sua Segunda Turma, por unanimidade, os Recursos Extraordinários nº 189.960-3 de 10-08-2001 e 337.718-3, de 01/08/2002, cujos eminentes Relatores foram respectivamente os ministros MARCO AURÉLIO e NELSON JOBIM, bem como os entendimentos exarados pelo Colendo TST e Egrégio TRT da 2ª Região.

Outras disposições sobre relação entre sindicato e empresa
CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA – ASSISTÊNCIA SINDICAL NAS RESCISÕES

As rescisões dos contratos de trabalho dos empregados que contarem mais de 06 (seis) meses de serviço ininterrupto na mesma empresa, serão feitas perante a entidade sindical profissional.

Disposições Gerais
Aplicação do Instrumento Coletivo
CLÁUSULA TRIGÉSIMA – PRORROGAÇÃO, REVISÃO OU REVOGAÇÃO

O processo de prorrogação, revisão, denúncia ou revogação, total ou parcial, desta Convenção, ficará subordinado às normas do Art. 615 e seguintes da CLT.
Descumprimento do Instrumento Coletivo

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA – PENALIDADES

Pelo não cumprimento das normas contidas na presente Convenção, haverá multa equivalente a 10% (dez por cento) do valor do piso da categoria, por infração e por empregado. O valor inerente a presente penalidades impostas deverão ser revertidas na proporção de 50% para o empregado e 50% para o sindicato de classe. A mesma penalidade será aplicada e revertida em favor da entidade sindical profissional, no caso de não recolhimento da Taxa Assistencial

Outras Disposições
CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA – DESCONTOS

Só serão permitidos descontos no salário do empregado, em se tratando de extravio ou quebra de materiais ou objetos, nos casos de culpa ou dolo comprovado, ou ainda de reincidência reiterada.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA – CHEQUES SEM FUNDOS

Não haverá descontos em quaisquer parcelas da remuneração do empregado, referentes a cheques recebidos, em nome da empresa e sem a necessária provisão de fundos, exclusivamente na função de caixa, recepcionista ou cobrador, se outro elenco não estabelecer a empresa, desde que cumpridas as normas do estabelecimento, as quais devem ser de pleno conhecimento do empregado.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA – REGULAMENTO

Obrigam-se os empregados a cumprir os regulamentos internos de suas empresas, em todos os termos, desde que sejam os mesmos de seus conhecimentos e apresentados por escrito.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA – MICRO-EMPRESAS, EMPRESAS DE PEQUENO PORTE E DO SIMPLES

Os termos da presente Convenção Coletiva abrangem integralmente também os trabalhadores de Microempresas, Empresas de Pequeno Porte e as do Simples.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA – CAIXA

A conferência dos valores em caixa será realizada sempre na presença do operador responsável ou seu substituto, ou ainda do gerente, dentro do turno de trabalho. Se houver impedimento, por determinação superior da empresa, de acompanhar a conferência, ficará o empregado isento da responsabilidade por eventuais erros existentes.

MARA REGINA DO AMARAL
Presidente
SINDICATO DE HOTEIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DO SUL CATARINENSE

JORGE GODINHO DA SILVA
Presidente
SIND DOS EMPR NO COM HOTELEIRO E SIMILARES DE CRICIUMA

09 de Novembro – Dia do Hoteleiro.

Parabéns hoteleiros!!! Homenagem àqueles que acolhem e trabalham para que o nosso visitante se sinta confortável.

Parabéns hoteleiros!!!
Homenagem àqueles que acolhem e trabalham para que o nosso visitante se sinta confortável.

NOVEMBRO AZUL.

Agora é a vez dos homens! O câncer de próstata é sempre tratado com muito preconceito pelos homens, principalmente em razão da realização do exame clínico (toque retal). Por isso, muitos preferem não procurar o urologista, fazendo com que o diagnóstico seja realizado tardiamente. Pacientes que apresentam histórico familiar desse tipo de câncer, a recomendação é que os exames sejam feitos a partir dos 45.

Agora é a vez dos homens!
O câncer de próstata é sempre tratado com muito preconceito pelos homens, principalmente em razão da realização do exame clínico (toque retal). Por isso, muitos preferem não procurar o urologista, fazendo com que o diagnóstico seja realizado tardiamente. Pacientes que apresentam histórico familiar desse tipo de câncer, a recomendação é que os exames sejam feitos a partir dos 45.

SEMINÁRIO DO TRABALHO

Convite para a próxima quinta-feira, dia 18 às 9:00h. Presença confirmada do Ministro do Trabalho, Sr Manoel Dias.

Convite para a próxima quinta-feira, dia 18 às 9:00h.
Presença confirmada do Ministro do Trabalho, Sr Manoel Dias.

CONVITE: Plano de investimentos da CELESC na Regional de Criciúma.

A Associação Empresarial de Criciúma – ACIC, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, recebem HOJE (15/10), o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, para a apresentação do plano de investimentos da Celesc para os próximos 10 anos na regional de Criciúma. O evento é aberto ao público acontece na sede da ACIC, às 18 horas.  O encontro é resultado do movimento que a ACIC e CDL fizeram em março deste ano, quando em comitiva, as duas entidades foram até o gabinete do presidente levar as reivindicações imediatas como, a conclusão das linhas de transmissão, ampliação da subestação, antecipação da construção da terceira subestação de Criciúma e a instalação do terceiro transformador, além de solicitar o plano de investimentos para a região.  O evento deverá contar com a presença dos presidentes das ACI’s, prefeitos, presidentes de cooperativas e demais autoridades da área de abrangência da Regional de Criciúma.

A Associação Empresarial de Criciúma – ACIC, em parceria com a Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL, recebem HOJE (15/10), o presidente da Celesc, Cleverson Siewert, para a apresentação do plano de investimentos da Celesc para os próximos 10 anos na regional de Criciúma. O evento é aberto ao público acontece na sede da ACIC, às 18 horas.
O encontro é resultado do movimento que a ACIC e CDL fizeram em março deste ano, quando em comitiva, as duas entidades foram até o gabinete do presidente levar as reivindicações imediatas como, a conclusão das linhas de transmissão, ampliação da subestação, antecipação da construção da terceira subestação de Criciúma e a instalação do terceiro transformador, além de solicitar o plano de investimentos para a região.
O evento deverá contar com a presença dos presidentes das ACI’s, prefeitos, presidentes de cooperativas e demais autoridades da área de abrangência da Regional de Criciúma.

CURSO: Recepcionista em meios de hospedagem.

SINDIHOTÉIS em parceria com o SENAC oferecem bolsas de estudo.

Área: Turismo e Hospitalidade.
Tipo de Curso: Capacitação ( qualificação profissional).
Carga horária: 161 horas.
Número de vagas: 35.
Data inicial: 29/09/2014.
Período: Segunda-feira, das 13:30 às 17:30.
Local: Faculdade Senac Criciúma.

INFORMAÇÕES: Faculdade Senac Criciúma
Rua: Gen. Lauro Sodré – Bairro Comerciário.
Fone: (48) 3437 9801
E-mail: mktcriciuma@sc.senac.br
http: //www.sc.senac.br

Próximo Famtour dia 27/10/14.

DSCF0462Em reunião realizada nesta terça-feira, 19, com seus associados, a presidente do Sindihoteis, Mara Regina do Amaral, iniciou o encontro pedindo apoio às ações da Casa Guido, formada por voluntários que atendem crianças com câncer. Participaram as Sras. Rosane e Renata da Casa Guido, divulgando o “DOMINGUIDO” que será realizado dia 21 de setembro no Centro de Eventos Germano Rigo, com almoço beneficente ao custo de R$ 35 por pessoa.
Na sequencia o Sr Alex, representante da Mormaii, apresentou chocolates sem lactose e glúten como lançamentos da marca.
Foi também avaliado o 1° Famtour realizado dia 11 de agosto e programado o 2° Famtour para o dia 27 de outubro.
A próxima reunião do Sindihoteis deverá ser realizada em setembro, em data a ser confirmada.
19.08.14

Reunião Sindihoteis dia 19/08 às 16 horas, ACIC.

 

Assuntos: Resultados positivos e negativos do 1º Fantour, Data do 2º, Cursos Capacitação para área hoteleira – Lançamento Recepcionista em Meios de Hospedagem -, aplicativo hoteleiro para medir satisfação dos clientes e outros assuntos pertinentes.

Famtur organizado pela Satc, Fundação Cultural de Criciúma e Sindhotéis.

famtur-pelos-pontos-turisticos-criciuma-1407774775Um grupo de 40 profissionais que atuam no ramo hoteleiro, percorreu os principais pontos turísticos de Criciúma nesta segunda-feira, conhecendo a história que cerca cada um, suas peculiaridades e atrações.
Estimular o conhecimento desses locais é uma das principais propostas do Famtur organizado pela Satc e Fundação Cultural de Criciúma (FCC), em parceria com o Sindicato dos Hotéis (Sindhotéis).
A capacitação consiste em informar melhor os turistas sobre os principais pontos turísticos a serem visitados na cidade. “Os funcionários de hotéis tem contato direto com os visitantes e por isso é interessante que eles participem e aprendam, para que a informação seja repassada corretamente e a pessoa se sinta bem recepcionada enquanto turista”, disse o diretor de Turismo de Criciúma, Ismail Ahmad Ismail.
Locais visitados: Parque das Nações, Mina de Visitação Octávio Fontana, Casa do Agente Ferroviário Mário Ghisi, Gruta Nossa Senhora de Lourdes, Parque Centenário, Catedral São José, Casa da Cultura, Museu Augusto Casa Grande, Estádio Heriberto Hulse e SPA Kantamá.

Sindihotéis fecha dissídio coletivo

A diretoria do Sindihotéis fechou neste quinta-feira o valor para reajuste dos trabalhadores do setor de bares e restaurantes da região sul catarinense. Na reunião com o presidente do sindicato dos trabalhadores, Jorge Godinho da Silva, ficou definido o piso de R$ 970,00 e reajuste de 8% para os trabalhadores que recebem acima do piso.  A reunião foi mediada pela gerente regional do Ministério do Trabalho em Criciúma, Cássia Gava Milanesi e pelo auditor fiscal do Ministério do Trabalho, Francisco de Assis Gonçalves. O reajuste passa a vigorar a partir de primeiro de maio.

Para a presidente do Sindihotéis, Mara Regina do Amaral, e demais empresários que participaram da reunião, os valores ficaram dentro da realidade de mercado, sendo que a maioria dos trabalhadores ganha acima do piso estabelecido. O setor mantém cerca de 1200 trabalhadores, em 24 municípios.